Eleições do CONAPE definem representantes da sociedade civil

 

Após eleições tranquilas e que transcorreram com relativa rapidez, já no final da manhã desta quinta-feira (29 de maio) era conhecida a composição (confira no final da matéria) das entidades que representarão a sociedade civil no Conselho Nacional de Aquicultura e Pesca (Conape), órgão consultivo do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), no biênio 2014-2016.

Os 14 delegados de entidades ligadas à pesca e aquicultura que participaram das eleições mantiveram, apesar de algumas disputas, as entidades já representadas no Conape, e com a mesma proporção de conselheiros em cada uma delas. Ao todo, o órgão conta com 54 conselheiros, dos quais 27 representam a sociedade civil.

“Entendo que a eleição foi um sucesso e reforçou a composição atual, para que possamos fortalecer muito mais o conselho e dar o suporte necessário ao ministro para as grandes questões da pesca e da aquicultura nacional”, avaliou José Maria Pugas, presidente da comissão eleitoral e representante da Confederação Nacional dos Pescadores e Aquicultores (CNPA).

A posse dos conselheiros está prevista para o próximo dia 16 de julho, em Brasília. No dia seguinte (17) os representantes farão a primeira reunião do 5º mandato do Conape. “Na oportunidade vamos estabelecer um plano de trabalho e as prioridades para a atuação do conselho”, acrescentou José Pugas.

Do total dos conselheiros eleitos, 15 representarão as entidades e organizações dos movimentos sociais e dos trabalhadores da pesca e da aquicultura; 10 as entidades empresariais; e dois os centros de academia e pesquisa.

Tranversalidade

De acordo com Roberto Imai, coordenador do Comitê da Cadeia Produtiva da Pesca e da Aquicultura (COMPESCA), da FIESP, o Conape tem importância estratégica para os segmentos de pesca e aquicultura nacional.

“As eleições, de que participei como delegado, mostraram que há disputa e um processo de crescimento das representações, o que é muito importante para a atuação estratégica e a transversalidade entre os diferentes setores atendidos pelo conselho, que têm questões em comum”, diz.

Ele destacou a importância de o País aproveitar, da maneira mais ordenada e sustentável possível, o potencial de atividades relacionadas ao Ministério da Pesca e Aquicultura, como pesca artesanal, pesca industrial, pesca e cultivo de peixes ornamentais, pesca esportiva e aquicultura.

Marcos Glueck, delegado nas eleições e integrante do conselho estratégico da Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva (Anepe), acredita que o Conape é um espaço importante para a defesa dos interesses da pesca amadora e esportiva. “Defendemos mais espaço para o nosso setor, que é grande gerador de empregos, no turismo, na indústria, no comércio e em outros setores”, diz. No entanto, Glueck entende que esse espaço tem de “estar aliado aos aquicultores e pescadores artesanais”, já que compartilham de um “ambiente comum”. “ Assim, vamos criar alternativas para a exploração sustentável dos segmentos”, esclarece.

Para Antônio Carlos Ferreira de Araujo, da comissão eleitoral, a permanência das entidades no Conape se justifica. “Elas fizeram um bom trabalho e é justo que continuem atuando”. Ele ressaltou, inclusive, a importância da continuidade das entidades representativas da academia e pesquisa, para o “ordenamento ser inteligente e positivo para todos”.

Confira as entidades eleitas para o Conape

ENTIDADES DE CLASSE E ORGANIZAÇÕES DOS MOVIMENTOS SOCIAIS E DOS TRABALHADORES DA PESCA E AQUICULTURA:

  • Confederação Nacional dos Pescadores e Aquicultores (CNPA), cinco conselheiros;
  • Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte Aquaviários e Aéreos, na Pesca e nos Portos (CONTTMAF), dois conselheiros;
  • Federação Nacional dos Engenheiros de Pesca do Brasil (FAEP/BR), quatro conselheiros;
  • Federação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aquaviários Afins (FNTTAA), três conselheiros;
  • Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), um conselheiro.

ENTIDADES DA ÁREA EMPRESARIAL DA PESCA E AQUICULTURA:

  • Conselho Nacional de Pesca e Aquicultura (CONEPE), quatro conselheiros;
  • Confederação Nacional da Indústria (CNI), um conselheiro;
  • Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), dois conselheiros;
  • Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva (Anepe), um conselheiro;
  • Associação Brasileira dos Criadores de Camarão (ABCC), um conselheiro; e
  • Associação Brasileira da Indústria de Processamento de Tilápia (AB-Tilápia), um conselheiro.

ENTIDADES DA ÁREA DE ACADEMIA E PESQUISA:

  •   Associação Brasileira de Oceanografia (AOCEANO), um conselheiro;
  •   Associação Brasileira de Aquicultura e Biologia Aquática (AQUABIO), um conselheiro

  

Fonte: http://www.mpa.gov.br/index.php/imprensa/noticias/2946-eleicoes-do-conape-definem-representantes-da-sociedade-civil

 

1

2

A ANEPE- Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva conquista mais uma cadeira no MTur – Ministério do Turismo, sendo escolhida para fazer parte também do GTT – Náutico  - Grupo de Trabalho de Turismo Náutico. Os representantes da ANEPE nesse GTT, serão o Sr. Marcelo Claro  como Membro  e o Sr. Emilio Gimenez Monteiro  como Membro Suplente 

O GTT Náutico é um grupo consultivo-propositivo que tem por finalidade identificar e discutir questões relativas ao turismo náutico, de maneira a subsidiar a elaboração de políticas públicas ou o desencadeamento de ações necessárias para o desenvolvimento desse segmento turístico no Brasil, o grupo foi formalmente instituído pela Portaria MTur n° 54, de 26 de março de 2009, sendo composto por representantes de órgãos e entidades do setor público, da iniciativa privada e do terceiro setor convidados.

 

 

 

 

 

 

A Seawolf é uma empresa voltada para a pesca em mar, criada em maio de 2012, com base nas Leis da República Dominicana, sediada em Bayahibe, em uma bonita vila de pescadores.

Atualmente, é integrante do Torneio Internacional de Pesca do Marlin em Cap Cana e do Torneio Blue Marlin Classic,  ambos voltados para o pesque e solte.

Na República Dominicana eles estão protegendo os Marlins (Veleiro, Branco, Azul),através de etiquetamento e soltura dessas espécies quando capturadas e com isso está sendo considerada em  2014 como melhor local para a pesca do Marlin, graças a uma  frota reduzida de barcos de pesca, além da quantidade e variedade de espécies.

Num futuro próximo, em junho, a SEAWOLF BAYAHIBE Fishing School iniciará suas atividades. Uma escola de pesca para as crianças da vila, a fim de ensinar,  educar e conscientizar sobre a proteção do mar e dos peixes .

 

 No dia 22 de janeiro de 2014, a ANEPE, na pessoa de seu Diretor Secretário, Antonio Carlos Ferreira de Araujo, foi convidada e participou de visita técnica ao Município de Bertioga, para conhecer projetos que a prefeitura local vem desenvolvendo, destinados a uma melhor estruturação da pesca ribeirinha, incentivo da pesca esportiva e viabilização de aquicultura na região.

A visita se deu em conjunto com autoridades locais e entidades de preservação ambiental da região. A bordo de embarcação da Prefeitura Municipal, os presentes partiram do píer municipal e adentraram ao Rio Itapanhaú, um dos locais preferidos para a pesca esportiva e esportes náuticos.

 Nova Imagem         Schimit (operador de pesca esportiva), Godoy (PRESIDENTE DO CONSELHO MUNICIPAL DA PESCA), Marisa Roitman (SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE DE BERTIOGA), Regina D’Martino (COCRIAR AMBIENTAL – Sócia), Antonio Carlos Ferreira de Araujo (ANEPE), Mario Scripilliti (COCRIAR AMBIENTAL - designer), João (DIRETOR DA COLONIA DOS PESCADORES “Z” 23 DE BERTIOGA) e Bolivar (DIRETOR DO MEIO AMBIENTE DE BERTIOGA)

Durante a visita, os presentes puderam acompanhar as explicações da Secretária de Meio-Ambiente de Bertioga, Marisa Roitman, a respeito da criação de áreas específicas para construção de marinas e estaleiros, projetados para ser o que há de mais moderno estruturalmente e que serão referência no Brasil; sobre a concepção de área específica para a concentração das atividades de pesca ribeirinha, incluindo píer específico, fábrica de gelo, centros logístico e comercial; além da criação de local específico para recepção das atividades da pesca esportiva, de modo a atrair o turismo de pesca para a região e todo o desenvolvimento econômico, social e ambiental que invariavelmente o acompanha.

Os presentes foram unânimes em concluir que, para validar os investimentos público e privado que serão feitos na região para a execução de tais projetos, desponta de fundamental relevo a preservação dos cursos d’água da região, como o canal e o Rio Itapanhaú, com especial atenção à regulação das atividades náuticas e de pesca ali praticadas, além da realização de estudos prévios sobre o comportamento das espécies-alvo da pesca ribeirinha e daquelas destinadas ao pesque-e-solte, como é o caso do Robalo, estudos esses que serão feitos em parceria com universidades locais e organismos do governo estadual 

Foto II

Antonio Carlos (ANEPE), Andrea Ana Dias (COCRIAR AMBIENTAL), Mario Scripilliti (COCRIAR AMBIENTAL), Camila Anello (COCRIAR) e Thomas Schimit (operador de pesca esportiva

 

 A ANEPE pode, ainda, inteirar-se de outro projeto já em curso no município, denominado "Peixe Legal - Pesca Consciente é com a Gente", capitaneado pela Prefeitura e pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento da Pesca, cujo objetivo é a difusão do respeito às medidas mínimas e cotas de captura estabelecidas pela legislação; corretos manuseio e devolução dos peixes capturados; conscientização sobre a importância de preservação dos espécimes de maior tamanho, os melhores reprodutores; a navegação responsável e diversas outras ações de estímulo do desenvolvimento sustentável.

O município mantém, ainda, um Barco Escola, que tem por objetivos: a realização de visitas monitoradas, promovendo a vivência com o meio natural ripário; desenvolvimento de pensamentos críticos, relacionando como as ações das dinâmicas urbanas reagem no equilíbrio natural do ecossistema ripário e como este desequilíbrio reage, afeta a comunidade lindeira e o município como um todo; promoção do sentimento de descoberta e de pertencimento do patrimônio natural existente no município.

“A Prefeitura de Bertioga, com ideias inovadoras e investimento sério e inteligente, está dando passos importantíssimos, e de vanguarda, rumo ao desenvolvimento econômico e social da região, e, o melhor, com sustentabilidade, e pode contar com a ANEPE”, diz Antonio Carlos, diretor da ANEPE.

 Maiores informações em www.bertioga.sp.gov.br e www.anepe.org.br. Acompanhe-nos no Facebook !

 

 

Contato

mapahome

Av. Paulista, 475 - 3º andar

Bela Vista - São Paulo /SP

Tel: (11) 2149-0590 / 2149-0565

JoomShaper